Meu filho tem autismo. Como posso ajudá-lo?


Quando o seu filho(a) é diagnosticado com transtorno do espectro autista, há muito o que se deve aprender. Você se depara com novos termos como “intervenção precoce”, “suporte positivo ao comportamento” e “terapia ABA”. É normal sentir-se oprimido. Mas não se preocupe: você não está sozinho. Muitos pais já percorreram esse caminho antes. Muitos recursos e serviços de suporte estão disponíveis para você. Nossa lista de verificação em quatro etapas pode ajudá-lo a encontrar o melhor caminho a seguir.

Etapa 1: Aprenda sobre as necessidades de seu filho

Crianças com autismo podem ter transtornos de aprendizagem ou problemas para se comunicar com outras pessoas. Eles podem ter comportamentos incomuns ou repetitivos ou dificuldades na interação social. Não há duas crianças autistas iguais – e, como mãe ou pai, você deve se especializar nas necessidades do seu filho(a).

Portanto, ao conversar com médicos ou terapeutas, faça muitas perguntas! Diga a eles suas preocupações e não hesite em obter opiniões variadas.

Algumas crianças com autismo têm outras condições médicas como convulsões, problemas gastrointestinais e problemas para dormir. Se tiver algum problema de saúde, informe o seu médico. Seu(ua) filho(a) pode precisar se consultar um especialista à parte.

Etapa 2: Aprenda sobre os serviços de educação

É extremamente importante que o acompanhamento profissional seja feito no tempo mais precoce possível. As crianças com desordens do espectro autista devem ser acompanhadas por uma equipe multidisciplinar. Elas aprendem com a ajuda de terapeutas em casa, na creche ou em outra instalação. Pais e cuidadores aprendem como ajudar a melhorar a linguagem e a comunicação de seus filhos.

Algumas das habilidades a serem trabalhadas diariamente são:

  • Aprimorar o contato visual;
  • Interagir socialmente;
  • Responder a outras pessoas com gestos ou palavras;
  • Trabalhar a atenção conjunta ou compartilhada

Etapa 3: Terapia ABA

A terapia ABA (applied behavor analysis ) é  ramo aplicado da ciência da análise do comportamento que tem sido considerado o padrão outro no tratamento do autismo. Converse com o seu médico e veja se há indicação de manter este acompanhamento no seu caso em questão.

Etapa 4: Torne-se um co-terapeuta

É imprescindível que os pais se dediquem – diariamente – à adequação da realidade às necessidades de seus filhos, tornando-se co-terapeuta. O estímulo cognitivo, a orientação comportamental, a melhoria das ferramentas de relacionamento interpessoal e a garantia de um ambiente harmonioso devem ser rotina. Abaixo, seguem algumas dicas que podem te auxiliar nesse processo.

  • Aprenda a se comunicar: module a sua voz, fazendo entonações que possam ajudá-la a identificar emoções. Gesticule de maneira a mostrar que você tem interesse em entendê-la. Use palavras simples e curtas. Converse sobre assuntos que agradem ela e tenha paciência.
  • Desperte a atenção da criança: use estímulos visuais criando ambientes físicos, minimizando estímulos de distração como luz e sons, por exemplo. Figuras, imagens de objetos e paisagens podem facilitar sua aproximação.
  • Conte histórias: conte histórias para a criança usando um repertório de gestos, olhares e tons de voz.
  • Cuidado ao toque e a voz: algumas crianças autistas podem ser hipersensíveis ao toque e a determinados sons.
  • Incentive o contato com outras pessoas: manter objetos de agrado da criança à sua vista, mas inalcançáveis, fazem com que ela tenha de se comunicar com adultos para conseguir o que quer.

Lembre-se: cada criança é única em suas necessidades. Atente-se às mudanças de humor do seu filho, aos seus desejos, às suas emoções. Nenhuma lista pode te ensinar como ter sucesso pleno na maternidade/paternidade. A sua presença é primordial.

Deixe um comentário