Como lidar com as mudanças de temperamento do seu filho?

Sim. Os acessos de raiva das crianças podem ser frustrantes para os pais. No entanto, em vez de vê-los como desastres, você deve tratá-los como novas oportunidades de educação.

Por que as crianças têm acessos de raiva?

Os acessos de raiva variam desde episódios de choramingos a choros, gritos, chutes e pausas respiratórias que  são igualmente comuns em meninos e meninas e, geralmente, acontecem entre as idades de 1 a 3 anos.

Algumas crianças podem ter acessos de raiva com mais frequência do que outras. As birras são uma processo normal do desenvolvimento infantil e é assim que as crianças mostram que estão chateadas ou frustradas.

As birras podem acontecer quando as crianças estão cansadas, com fome ou desconfortáveis. Elas podem ter um colapso emocional porque não conseguem fazer com que algo (como um brinquedo- ou até um dos pais) faça o que querem. Aprender a lidar com a frustração é uma habilidade que as crianças adquirem com o tempo.

As birras são comuns durante o segundo ano de vida, quando as habilidades linguísticas estão começando a se desenvolver. Como as crianças ainda não conseguem dizer o que querem, sentem ou precisam, uma experiência frustrante pode causar acessos de raiva. À medida que as habilidades de linguagem melhoram, os acessos de raiva tendem a diminuir.

As crianças querem independência e controle sobre seu ambiente – mais do que podem realmente lidar. Isso pode levar a lutas de poder quando a ela pensa “Eu posso fazer isso sozinha” ou “Eu quero, dê para mim“. Quando as crianças descobrem que não podem fazer isso e não podem ter tudo o que desejam, podem ter um acesso de raiva.

Como podemos evitar acessos de raiva?

Aqui estão algumas idéias que podem ajudar neste processo:

  • Dê muita atenção positiva. Adquira o hábito da recompensa positiva. Recompense o seu filho com elogios e atenção pelo comportamento positivo.
  • Tente dar às crianças algum controle sobre as pequenas coisas. Ofereça escolhas menores, como “Você quer suco de laranja ou de maçã?” ou “Você quer escovar os dentes antes ou depois do banho?” Dessa forma, você não está perguntando “Você quer escovar os dentes agora?” – que inevitavelmente será respondido “não”.
  • Mantenha os objetos fora dos limites da vista e do alcance. Isso torna as lutas menos prováveis. Obviamente, isso nem sempre é possível, especialmente fora de casa, onde o ambiente não pode ser controlado.
  • Distraia o seu filho. Aproveite a pouca atenção do seu filho oferecendo algo em substituição àquilo que ele não pode ter. Comece uma nova atividade para substituir a frustrante ou proibida ou, simplesmente, mude o ambiente.
  • Ajude as crianças a aprender novas habilidades e ter sucesso. Ajude as crianças a aprenderem a fazer coisas. Elogie-as para ajudá-las a se sentirem orgulhosas do que podem fazer.
  • Considere aceitar o pedido do seu filho, quando ele quiser algo. Aprenda a escolher as suas batalhas.

O que você deve fazer durante uma birra?

Mantenha a calma. Não complique o problema com a sua própria frustração ou raiva. Lembre-se de que seu trabalho está ajudando seu filho a
aprender a se acalmar.

As birras devem ser tratadas de forma diferente, dependendo do motivo pelo qual o seu filho está chateado. Às vezes, você pode precisar fornecer conforto. Se o seu filho está cansado ou com fome, é hora de tirar uma soneca ou fazer um lanche. Outras vezes, é melhor ignorar uma explosão ou distrair o seu filho com uma nova atividade.

Se uma birra está acontecendo para chamar a atenção dos pais, uma das melhores maneiras de reduzir esse comportamento é ignorá-lo. Se um ataque de raiva acontecer depois que algo for recusado a seu filho, fique calmo e não dê muitas explicações sobre o motivo pelo qual seu filho não pode ter o que deseja. Passe para outra atividade com seu filho.

Se ocorrer uma birra depois que seu filho receber instruções para fazer algo que não deseja, é melhor ignorar a birra. Mas certifique-se de fazer com que seu filho conclua a tarefa depois que ele se acalmar.

Crianças que correm o risco de machucar a si mesmas ou a outras pessoas durante uma birra devem ser levadas para um local tranquilo e seguro para se acalmarem. Isso também se aplica a acessos de raiva em locais públicos.

Se uma questão de segurança estiver envolvida e uma criança repetir o comportamento proibido após ser instruída a parar, dê um tempo ou segure a criança firmemente por vários minutos. Seja consistente. Não ceda em questões de segurança.

Crianças em idade pré-escolar e mais velhas são mais propensas a ter acessos de raiva para conseguir o que querem se aprenderem que esse comportamento funciona. Para crianças em idade escolar, é apropriado mandá-las para seus quartos para se acalmarem, prestando pouca atenção ao comportamento.

Em vez de estabelecer um limite de tempo específico, diga a seu filho para ficar na sala até que ele ou ela recupere o controle. Isso é fortalecedor – as crianças podem afetar o resultado por meio de suas próprias ações e, assim, ganhar uma sensação de controle que foi perdida durante a birra.

Você não deve recompensar a birra do seu filho. Isso só vai provar para a criança que  a birra foi eficaz.

O que devo fazer depois de uma birra?

Elogie o seu filho por recuperar o controle. Por exemplo, você pode dizer “Gosto da forma como você se acalmou.”

As crianças podem ficar especialmente vulneráveis ​​após um acesso de raiva, quando sabem que têm sido desagradáveis. Após a recuperação do controle, é a hora de fornecer um abraço e garantir ao seu filho que ele é amado, não importa o que aconteça.

Lembre-se de que as birras, geralmente, não são motivo de preocupação e, normalmente, param por conta própria. À medida que as crianças amadurecem, elas desenvolvem o autocontrole, aprendendo a cooperar, se comunicar e lidar com a frustração. Menos frustração e mais controle significarão menos acessos de raiva e pais mais felizes.

Deixe um comentário